A maior parte das intervenções individuais ou em grupo para pessoas com doença física crónica NÃO estão centrados na fase crónica da doença quando a família mais necessita de se adaptar a viver com a nova realidade. Além disso, a maior parte dos programas estão focados nas pessoas com a doença e não incluem os familiares que com elas vivem. Neste sentido, o presente programa está centrado numa abordagem familiar considerando as necessidades de todos os membros da família incluindo, naturalmente, as da pessoa com a doença crónica.

A quem é dirigido este programa de intervenção?

Este programa é dirigido a pessoas com um diagnóstico de doença física crónica e respetivos familiares, no sentido de aumentar a adaptação à doença e promover a qualidade de vida familiar e o bem-estar físico e psicológico. O programa contempla uma abordagem psicoeducacional, centrada em modelos familiares, bem como uma dimensão afetiva e comportamental, fornecendo estratégias para melhor lidar com a doença e ultrapassar as dificuldades do dia a dia a nível individual, familiar e com o sistema de saúde.

De facto, a doença crónica é entendida como um intruso que afeta não só a pessoa, como a família, trazendo novos desafios e a necessidade de união familiar para lidar com este stressor. Assim, é importante colocar a doença no seu “lugar” de forma que esta não consiga invadir a IDENTIDADE da família e a família possa, assim, contribuir para o desenvolvimento de todos os seus membros. É exatamente este o objetivo do presente programa.

As sessões são oferecidas em formato de grupo e incluem 8 sessões com objetivos muito específicos e num formato estruturado que abarca uma avaliação rigorosa das dificuldades e necessidades da família antes e após o programa. A heterogeneidade do grupo permite uma intervenção baseada numa discussão aberta focada nas questões relacionadas com viver com uma doença física cronica que são transversais a qualquer doença.

É fundamental para participar nas sessões que a pessoa com doença física crónica esteja inscrita, se encontre na fase crónica da doença (pelo menos 3 meses após o diagnóstico) e participe no grupo com pelo menos um familiar para que a experiencia possa ser partilhada, favorecendo a coerência familiar.

A participação neste Programa é gratuita

Para realizar a inscrição deverá ser enviado um email para: cristina.bernardo@apsi.uminho.pt

Contactos:

APSI-UMINHO, ASSOCIAÇÃO DE PSICOLOGIA DA UNIVERSIDADE DO MINHO

Universidade do Minho – Escola de Psicologia

Telefone: (351) 253 604 245, (351) 253 604 681
Email: apsi@psi.uminho.pt